PTAH

05/08/2009

Muita gente nos pergunta quem foi Ptah, deus egípcio do qual emprestamos o nome para nosso estúdio. Este texto pretende esclarecer um pouco a questão.

 OS DEUSES EGÍPCIOS
Os deuses do antigo Egito foram Faraós que reinaram no período pré-dinástico. Assim, os mitos foram inspirados em histórias que aconteceram de verdade, milhares de anos antes de sua criação.
Para a cultura do antigo Egito, o casamento consanguíneo tinha o sentido de complementaridade, unir céu e terra, seco e úmido, e foi por essa razão que diversos deuses eram irmãos que se casavam entre si. Osíris foi o primeiro Faraó que, com o passar do tempo, foi divinizado. Seu reinado em vida marcou uma época de prosperidade e, ao morrer, ele passou a ser o soberano do reino dos mortos.

Os deuses egípcios eram representados ora sob forma humana, ora sob forma de animais, considerados sagrados. O culto a tais animais era um aspecto importante da religião popular. Os teólogos oficiais afirmavam que neles encarnava-se uma parcela das forças espirituais e da personalidade de um ou mais deuses. Deve ser entendido que o “deus” não residia em cada vaca ou em cada crocodilo. O culto era dirigido a um só indivíduo da espécie, escolhido de acordo com determinados sinais e entronizado num recinto especial. Ao morrerem, os animais sagrados eram cuidadosamente mumificados e sepultados em cemitérios exclusivos.

DEUSES E HOMENS
Os deuses têm muito em comum com os homens: podem nascer, envelhecer, morrer… Eles possuem um corpo que deve ser alimentado, um nome, demonstram sentimentos. No entanto, estes aspectos humanos escondem uma natureza excepcional: seu corpo, composto de matérias preciosas, é dotado de um poder de transformação, suas lágrimas podem dar nascimento a seres ou minerais.

Os poderes dos deuses são sempre comparados a algumas propriedades dos elementos da natureza ou dos animais, o que dá lugar a representações híbridas às vezes espantosas.
Para representar os deuses, todas as combinações são possíveis: divindades totalmente humanas, deuses inteiramente animais, com corpo de homem e cabeça de animal, com o animal inteiro no lugar da cabeça (o escaravelho, por exemplo) ou com cabeça humana. A esfinge, imagem do deus-sol e do rei, é um leão com cabeça humana. Há animais comuns a muitas divindades (o falcão, o abutre, a leoa) e outros que são característicos de apenas uma (íbis de Thot, o escaravelho de Khepri).

PTAH
PtahDentre tantos deuses, Ptah tem um lugar especial. Ele era o deus de Mênfis, que foi a capital do Egito no Antigo Império. Ptah é “aquele que afeiçoou os deuses e faz os homens” e “que criou as artes”. Concebeu o mundo em pensamento e o criou por sua palavra.

O QUE PTAH NOS INSPIRA
Como Ptah era o protetor das belas-artes, inspirou o Deus Thot a desenvolver a forma de comunicação falada e escrita. Ptah inspira poetas, filósofos e escritores, transmite conhecimento para viver a vida em dignidade, maturidade, sabedoria, fornecendo sábios ensinamentos para a vida cotidiana dos homens… Por exemplo: ele ensinou aos homens que a nobreza e sucesso de um empreendimento, além de muitas outras qualidades, consiste também em informar e compartilhar todas as novas formas de tecnologia, elaborar soluções junto ao cliente… E isso há cerca de 5.000 anos.

Sob sua proteção, as pessoas têm firmeza de temperamento, paciência e perseverança, um grande talento para as artes e tudo o que se relaciona com o planejamento, arquitetura, construção de objetos e de outras necessidades humanas. Para alcançar a felicidade, devemos canalizar todas as virtudes no sentido da realização de coisas que tenham valor espiritual e que despertem sentimentos de beleza e harmonia. Ptah nos faz compreender que a mente e o coração devem andar em justo equilíbrio. A beleza interna deve se refletir na beleza externa. Seu ensinamento é que, quando não há beleza no ambiente, não existe como a verdade se manifestar.

CONCEITOS DE PTAH QUE ADOTAMOS

  • Ética
  • Elegância
  • Criatividade
  • Talento
  • Beleza
  • Tudo deve ser único e especial
  • De fácil leitura e compreensão

Referências:
http://www.imagick.org.br/pagmag/sistmag
http://www.geocities.com/philosophiaonline
http://www.egyptianmyths.net
http://www.britannica.com

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: